Autoridades que não dão exemplos e não respeitam as medidas restritivas: “É imoral e desonesto”, avalia especialista
Assessoria

Pandemia

Autoridades que não dão exemplos e não respeitam as medidas restritivas: “É imoral e desonesto”, avalia especialista

Por Cristina Pinheiro em 09/03/2021 - 18:00

 

O caso do prefeito de Salto do Lontra, no sudoeste do Paraná, chamou a atenção e tem gerado grande revolta.

Fernando Cadore (PDT), foi flagrado, no mês passado, em uma festa com mais de 200 pessoas, em um pátio de posto de combustíveis. Havia música ao vivo, aglomerações e várias pessoas sem máscaras. Um vídeo registrou a festa e a presença de Cadore, infringindo decretos estaduais e municipais e se

e determinar o bloqueio de bens em R$ 273 mil do político, omitindo do dever de fiscalizar.

O flagrante ganhou evidência após o Ministério Público do Paraná (MP-PR) denunciar o chefe do Executivo por improbidade administrativa equivalente a 15 salários do prefeito.

O advogado Wilson Accioli Filho, mestre em Direito do Estado e Especialista em Direito Administrativo, explica que houve claro atentado a dois princípios da administração pública: legalidade e moralidade

Ele falou ao programa CBN Cascavel 2ª Edição (2ª a 6ª feira, das 14h às 16h), nesta terça-feira (09), quando enfatizou que “o chefe do município, deve dar exemplo de civilidade e moralidade”.

 

Com assessoria

Player Ouça ouça o áudio

Notícias da mesma editoria