LirAa aponta maior infestação na região Oeste de Cascavel
Assessoria Prefeitura de Cascavel

DENGUE

LirAa aponta maior infestação na região Oeste de Cascavel

Por Tatiane Bertolino em 17/10/2019 - 11:50

O 4º ciclo do Liraa (Levantamento rápido de índices para Aedes Aegypti) teve resultado de infestação de 0,7% em Cascavel. Valor considerado de baixo risco para epidemia pelo Ministério da saúde. Os dados foram divulgados na noite desta quarta-feira, quando foi concluído o ciclo iniciado na segunda. Foram inspecionados 4.346 imóveis na cidade. A maior infestação foi registrada em bairros da região Oeste da cidade como Alto Alegre, Santo Onofre, Santa Cruz e Paulo Godoy, na região do Bairro Cancelli e Claudete e também na região do Bairro Parque Verde. Com índice registrado de mais de 1% em todos os locais. Ações de prevenção deverão ser realizadas nestas regiões nos próximos dias.

Segundo último boletim divulgado pela Sesa (Secretaria de Estado da Saúde) ainda nesta semana, em Cascavel, desde o dia 28 de julho até 15 de outubro são 12 casos de dengue confirmados, e 162 suspeitos. A coordenadora do setor de Endemias de Cascavel, Ana Paula Barbosa, explica que pequenos criadouros já são suficiente para abrigar o mosquito e assim, fazer disparar o número de casos.

 

Em Foz do Iguaçu, a situação é considerada ainda mais preocupante. No período desde 28 de julho, são 48 casos confirmados e 848 notificados da doença. Segundo a doutora em saúde pública, enfermeira responsável pela vigilância das arboviroses de Foz do Iguaçu, Mara Ripoli, está longe de ser levada em conta uma epidemia. Porém, para essa época do ano, o número de casos registrados é considerado alto, já que em outros anos a quantidade era bem menor.

O coordenador municipal de prevenção e controle da dengue em Foz Jean Rios explica as ações realizadas de prevenção da proliferação do mosquito transmissor da dengue.

Player Ouça a reportagem

Notícias da mesma editoria